Logotipo MiudosSegurosNa.Net

Minimizar Riscos, 
Maximizar Benefícios. 

Bandeira de AngolaBandeira do BrasilBandeira de Cabo VerdeBandeira da Guiné-Bissau
Bandeira de MoçambiqueBandeira de PortugalBandeira de São Tomé e PrincípeBandeira de Timor Leste
Subscreva a Newsletter
[MiudosSegurosNa.Net]
> Definir Homepage
> Adicionar a Favoritos
> Imprimir Esta Página
> Recomendar Página
> Ligue-se a Nós!
> Artigos Para o Seu Site
> Donativos

ARTIGOS DE OPINIÃO - 2011 - Outubro
10 Recomendações de Segurança na Internet
Por Tito de Morais

Neste artigo deixo-lhe dez recomendações para a segurança de crianças e jovens na Internet. Estas resultam da análise dos "10 Maiores Mitos Sobre Riscos Online Para as Crianças" referidos no relatório final do projecto EuKidsOnline, publicado no passado dia 22 de Setembro.

Em finais de Setembro, analisei e comentei no blog do Projecto MiudosSegurosNa.Net os "10 Maiores Mitos Sobre Riscos Online Para as Crianças" referidos no mais recente relatório do projecto EuKidsOnline. Dessa reflexão, nasceram as dez recomendações que desenvolvo e lhe deixo abaixo.

#1: Ensine e Aprenda Com os Seus Filhos, Sobrinhos e Netos
Use os computadores, a Internet e outras tecnologias de informação e comunicação com o seu cônjuge, seus filhos, sobrinhos e netos. Todos temos algo para ensinar e aprender. Se não forem competências digitais, serão competência de vida. E umas complementam as outras. Nós os adultos - sejamos pais, encarregados de educação, irmãos mais velhos, tios, avós, professores e educadores - possuímos competências (digitais ou não digitais, não me parece relevante) que as crianças e os jovens ou não possuem ou não têm tão desenvolvidas. Nesse sentido, o nosso apoio é essencial para que as crianças e os jovens possam adquirir e desenvolver as suas competências digitais. E o inverso é igualmente verdade.

#2: Apoie, Incentive e Estimule Actividades Criativas Online
Apoie, incentive e estimule nas suas crianças e jovens o desenvolvimento de actividades criativas online. Só assim elas conseguirão maximizar o potencial positivo da Internet. Por exemplo, incentive e estimule a escrita de um blog sobre um tema ou actividade que lhes seja querida, a ilustração do mesmo com desenhos, fotografias, vídeos da sua autoria. Um desafio: crie um blog familiar com os seus filhos, sobrinhos, netos. Se for professor, crie um blog com as suas turmas para acompanhar a disciplina que lecciona. E se as questões de segurança são uma preocupação, faça o blog privado ou acessível apenas por convite. E depois pode associá-lo a uma conta no Twitter, no Facebook, no YouTube, etc.

#3: Não se Abstraia da Vida Online das Suas Crianças e Jovens
Os filhos precisam de pais online e offline. Crie um perfil nas redes sociais em que os seus filhos participam. As redes sociais podem ser uma excelente "ferramenta auxiliar de diagnóstico". Convide, incentive, apoie e estimule os seus restantes familiares a fazerem o mesmo. A família deve ser família, online e offline. E se acha que os seus filhos ainda são demasiado pequenos para terem um perfil numa rede social, porque não começar por uma rede social para crianças - especificamente desenvolvida para menores de 13 anos de idade - ou por uma rede social familiar?

#4: Considere se Precisa da Ajuda de um Programa de Controlo Parental
Uma em cada sete crianças viu imagens de cariz sexual online no ano passado e o mesmo aconteceu com um quarto dos adolescentes mais velhos. Se no caso dos adolescentes mais velhos esse acesso pode ser deliberado, no caso das crianças o mais provável é que seja um acesso acidental e involuntário. Se o tema do acesso voluntário ou involuntário, sobretudo dos mais pequenos, a conteúdos impróprios - e não só no domínio da pornografia, mas também aqueles sobre os quais a comunicação social não fala tanto - a tecnologia pode dar uma ajuda, mas só por si não resolve. Assim, considere se precisa da ajuda de um programa de controlo parental. No entanto, tenha presente que não há tecnologias infalíveis e que a tecnologia, só por si não resolve. Mas pode ajudar.

#5: Seja Intolerante com o Cyberbullying
Grande parte dos agressores - online ou offline - já foram vítimas de outros agressores. Isso diz-nos que as vítimas de hoje podem ser os agressores de amanhã. Se tolerarmos o cyberbullying, não quebraremos este ciclo vicioso. No entanto, temos de compreender o fenómeno por parte de todos os intervenientes - vítimas, agressores, seguidores, agressores passivos, potenciais agressores, espectadores, potenciais defensores da vítima e defensores - pois só assim conseguiremos por fim ao fenómeno.

#6: Aprenda e Ensine a Categorizar os Contactos Online
Aprenda e ensine os seus filhos a categorizar os seu contactos online e a pensar neles e a publicar conteúdos em função de uma pirâmide de confiança. E como mais vale prevenir que remediar, deixe claro que estará sempre disponível para os(as) acompanhar para encontros presenciais com pessoas que só se conhecem online. E que tais encontros só devem acontecer num local público, na sua presença (ou de um adulto da sua confiança).

#7: Alerta: Riscos Online e Offline Têm Contextos Diferentes
As crianças e jovens que têm comportamentos de risco offline, provavelmente irão tê-los também online. No entanto, tal não quer dizer que aqueles que não têm comportamentos de risco offline, não os tenham online. Assim, só porque os seus filhos não têm comportamentos de risco offline, tal não quer dizer que não os tenham online.

#8: Fale Sobre a Internet e Partilhe Actividades Online Com os Filhos
Colocar o computador num espaço comum da casa contribui para uma utilização da Internet em família, facilita partilha de experiências e permite que se continue a ter vida em família, o que é muito mais complicado se cada um estiver com o seu portátil no seu quarto. Fale com os seus filhos sobre a Internet ou partilhe uma actividade online com eles. Para facilitar esta tarefa, deixo-lhe dois artigos: "Dê Início à Conversa" e "7 Coisas Para Fazer Com os Seus Filhos na Net".

#9: Incentive, Apoie e Estimule a Aquisição de Competências Digitais
Ensinar mais competências digitais não reduz o risco, mas podem reduzir o dano que algumas crianças experienciam do risco online. Por isso, incentive, apoie e estimule a aquisição de competências digitais pelos seus filhos, pois elas poderão reduzir o dano resultante de riscos online.

#10: Apoie, Incentive e Estimule o Pensamento Crítico
Nenhum software substitui o acompanhamento parental. Por isso, recomendo que apoie, incentive e estimule o desenvolvimento do pensamento crítico das suas crianças e jovens. O melhor filtro de segurança na Internet de uma criança/jovem é a sua massa cinzenta. Este "software" vem pré-instalado em todas eles, é compatível com todos os sistemas operativos, pode-se actualizar continuamente e, melhor de tudo, é gratuito!

Aqui ficam estas recomendações. Adopte-as, partilhe-as, rejeite-as, critique-as, sugira alternativas, comente-as, debata-as. Pela Segurança na Internet.



Artigos Anteriores:
> Dê Início à Conversa
> 7 Redes Sociais Para Crianças
> Redes Sociais Para Famílias
> A Internet e o Desaparecimento de Adolescentes
> 7 Aspectos a Considerar na Sua Vida Online

Parceiros:
Logotipo do EasyBits Group
| Início | Recursos | Sobre | Mapa do Site |
                                                 © 2003-2011, Tito de Morais. Todos os Direitos Reservados.