Logotipo MiudosSegurosNa.Net

Minimizar Riscos, 
Maximizar Benefícios. 

Bandeira de AngolaBandeira do BrasilBandeira de Cabo VerdeBandeira da Guiné-Bissau
Bandeira de MoçambiqueBandeira de PortugalBandeira de São Tomé e PrincípeBandeira de Timor Leste
Subscreva a Newsletter
[MiudosSegurosNa.Net]

> Definir Homepage
> Adicionar a Favoritos
> Imprimir Esta Página
> Recomendar Página
> Ligue-se a Nós!
> Artigos Para o Seu Site
> Donativos

ARTIGOS DE OPINIÃO - 2008 - SETEMBRO
Blogs de Bebés e Segurança
Por Tito de Morais

Ultimamente tenho detectado uma tendência para a criação de blogues de bebés. Fiz uma pesquisa no Google por "blog+bebé" e obtive qualquer coisa como 26.200.000 páginas! A tendência é tal, que existem serviços de alojamento de blogues especializados neste nicho de mercado. Que questões de segurança se colocam?

A paternidade/maternidade é uma experiência única. O dia em que sabemos que vamos ser pais enche-nos de [insira aqui o seu adjectivo qualificativo]! Se é assim com a generalidade dos casais, imagine-se então aqueles que, por uma razão ou por outra, durante anos não conseguiram ser pais e que subitamente sabem que o vão ser. Quando sabemos que vamos ser pais enche-nos um sentimento que nos apetece partilhar com o mundo. Mas até recentemente só o podíamos fazer com a família, amigos, colegas de trabalho, etc.. Hoje, graças à Internet, podemos, de facto, partilhar esse sentimento com o mundo. E este, na generalidade das vezes, responde com carinho. Esta é, por ventura - não fiz nenhum estudo - a primeira razão que leva muitos pais a criarem blogs para os seus bebés. Uma forma de partilharem com o mundo a sua alegria.

Um Registo Para a Posteridade
Tenho alguns amigos - e estou certo, alguns leitores também - que criaram os seus blogues quando foram pais ou quando souberam que iam ser pais. Quando o meu filho mais novo nasceu ainda não havia blogs. No entanto, na altura mantinha uma página pessoal e também não resisti à tentação de partilhar essa alegria com o mundo. Hoje os blogues permitem a um casal registar para a posteridade, de uma forma simples e rápida, tudo o que os pais sentem ao longo da gravidez da mãe. Permitem-lhes partilhar esses momentos com a família e amigos. O mesmo acontece com o nascimento e os primeiros anos de vida da criança. Momentos que, de outra forma, provavelmente ficariam perdidos na memória do tempo e que desta forma podem reviver anos depois. De certa forma, é um legado de memórias que deixam aos seus filhos e a que os "livros do bebé", os velhos filmes Super8 ou os modernos vídeos não se comparam ao nível das funcionalidades que um blog oferece. Na realidade, um blog oferece isso e muito, muito mais.

Momentos Para Mais Tarde Recordar
Por vezes, como acredito que acontece com muitos casais, eu e a minha mulher recordamos aspectos e histórias das gravidezes dela e da infância dos nossos filhos. Fazemo-lo até onde a nossa memória nos permite. E esses são momentos bons. Excelentes mesmo. Mas muitos desses episódios perdem-se no tempo. No entanto, por vezes, lembramo-nos de episódios dos quais nos tínhamos esquecido e que por qualquer razão, nos assomam à memória. Nessa altura rejubilamos! Quando vejo blogues de bebés, realizo que um blogue é um meio excelente para que muitos desses momentos únicos não se percam para sempre. Os pais de hoje, e os seus filhos, são uns felizardos!

Mas Se é Tudo Cor-de-Rosa...
Mas se é tudo assim tão cor-de-rosa, porquê este artigo, pensará o leitor. Um dia destes, em finais de Agosto de 2008, estava a falar pelo Messenger com uma responsável de uma organização não governamental no domínio da protecção da criança, quando esta me chamou à atenção para uma página. Aí figurva, nada mais, nada menos, que um anúncio classificado com o seguinte título: "VENDO CRIANÇA COM 2 MESES CABELOS LOIROS - É UMA MENINA". A acompanhar o título estava uma foto da criança, o preço (100,00 £), a localidade (Lisboa, Portugal), a data em que o anúncio havia sido colocado e a seguinte descrição: "TA A VENDA! VENDO-A A KE A TRATAR BEM! PODE SER USADA PARA ACTOS SEXUAIS K EU NAO ME IMPORTO! URGENTE!". A descrição continha ainda uma frase relativa aos genitais da criança que me abstenho aqui de reproduzir e um número de telemóvel obviamente falso. O anúncio, havia sido colocado há 1 hora atrás. O caso foi de imediato denunciado à Polícia Judiciária e ao site onde o anúncio estava colocado (através de botão específico para este tipo de denúncias). Apesar de recentemente colocado, os comentários iam caindo uns atrás dos outros. A maioria de indignação, outros com ameaças e insultos ao autor do anúncio e um ou outro com apreciações absolutamente inqualificáveis relativamente à criança. Um dos comentários rapidamente apontou a origem da imagem da criança. O blogue de uma bebé que já não é mantido há quase 2 anos, mas de onde havia sido copiada uma fotografia tirada ao bébé aos 2 meses de idade. Apesar do próprio anúncio indiciar tratar-se de uma "brincadeira de mau gosto", a situação evoluiu chegando ao ponto de um dos comentários ser feito por uma alegada irmã do "vendedor". Alegava ter-se tratado de uma "brincadeira" - quando na realidade se trata de um rime punido por lei - e pedia ajuda para remover o anúncio. Três horas depois do anúncio ter sido colocado, foi removido. Por quem e em resultado de quê ignoro. Tão pouco sei se os pais da criança chegaram a ter conhecimento do caso, apesar de alguns comentários referirem que já teria sido dado conhecimento do caso aos pais. Resumindo, o caso era - tudo o levava a crer - falso e foi rapidamente resolvido. Mas nem sempre é assim. A remoção deste tipo de informação leva, por vezes, dias e até mesmo semanas. São horas, dias e semanas que, para os familiares de uma criança que vivam uma situação destas podem ser verdadeiramente complicadas. E apesar deste caso concreto aparentar ser um falso alarme, o mesmo parecia não acontecer com um caso registado e noticiado em Portugal (ver notícias sobre o assunto no Sol, DN e Portugal Diário) há pouco mais de um ano. Para procurar mitigar este tipo de situações, surgiu a ideia deste artigo.

Algumas Dicas e Cuidados
Em função do exposto, então como tirar o máximo partido dos benefícios referidos no início deste artigo, salvaguardando-se de situações como a que referi? Christy Matte, editora do Guia Family Internet do About.com escreveu recentemente sobre o tema no artigo "Blogging Privacy and Safety -Where to Draw The Line" deixando algumas sugestões:

  • Evite revelar demasiados dados pessoais da família, sobretudo aqueles que vos coloquem num determinado espaço geográfico restrito e facilmente identificável no tempo e no espaço. Evite os pormenores.


  • Não partilhe nada que possa embaraçar alguém. Hoje ou no futuro. Há coisas que achamos graça nos nossos filhos quando estes são bebés e crianças, mas que podem ser altamente embaraçosas quando estes se tornam adolescentes ou adultos.


  • Pense duas vezes antes de clicar no botão publicar. Evite textos e comentários anedóticos, potencialmente ofensivos ou embaraçosos sobre terceiros. É que quando menos esperar, essas pessoas podem ler o que escreveu, podendo-lhe criar situações embaraçosas e desagradáveis.

Alternativas Mais Seguras
A verdade é que se a Internet não foi pensada como um parque infantil, mas como uma rede militar e académica, também os blogues não foram pensados para bebés. Assim e em resultado da tendência que referi no início deste artigo e apesar de algumas plataformas de blogging terem apostado neste nicho, a verdade é que a generalidade das plataformas de não é indicada para alojar blogs de bebés. Apercebendo-se desta realidade, começam a aparecer algumas plataformas desenvolvidas especificamente para este nicho e que levando mais longe o conceito se aproximam de plataformas de redes sociais para pais e bébés. E disso dá conta o artigo de Camille Sweeney, "Twittering From the Cradle", recentemente publicado no New York Times, onde faz referência ao TotSpot, Odadeo, Kidmondo e Lilgrams. O tema já havia sido entretanto abordado por Jason Kincaid no artigo "TotSpot: Finally, An Activity Stream For Your Baby", publicado em Junho no TechCrunch, onde é feita uma análise ao TotSpot e onde são ainda feitas referências ao BabySpot, Bundlo e Parentrycitry.

A terminar, se o seu bebé já tem um blogue ou se está a considerar a ideia, para além das dicas referidas acima, o meu conselho é que, melhor que uma plataforma generalista de blogs, é adoptar uma especificamente concebida para pais e bebés como é o caso das que enumero acima. Pelo menos vale a pena considerar.



Artigos Anteriores:
> Começar a Construir a Casa Pelo Telhado - Parte III
> Começar a Construir a Casa Pelo Telhado - Parte II
> Começar a Construir a Casa Pelo Telhado - Parte II
> hi5: Ignorar o Elefante na Sala de Estar?
> Dados Pessoais, Privacidade & Pautas Escolares

Rotulado com ICRA - Internet Content Rationg Association
| Início | Recursos | Sobre | Mapa do Site |
                                                 © 2003-2008, Tito de Morais. Todos os Direitos Reservados.