Logotipo MiudosSegurosNa.Net

Minimizar Riscos, 
Maximizar Benefícios. 

Bandeira de AngolaBandeira do BrasilBandeira de Cabo VerdeBandeira da Guiné-Bissau
Bandeira de MoçambiqueBandeira de PortugalBandeira de São Tomé e PrincípeBandeira de Timor Leste
Subscreva a Newsletter
[MiudosSegurosNa.Net]

> Definir Homepage
> Adicionar a Favoritos
> Imprimir Esta Página
> Recomendar Página
> Ligue-se a Nós!
> Artigos Para o Seu Site
> Donativos

ARTIGOS DE OPINIÃO - 2005 - NOVEMBRO
Outra Vez o Anonimato na Internet
Por Tito de Morais

Há umas semanas escrevi aqui sobre o anonimato ou pseudo-anonimato potenciado pela Internet e pelos riscos que lhe podem estar associados, sobretudo para crianças e jovens. Esta semana, na sequência da troca de emails com um leitor e de uma outra situação que relatarei, decidi voltar a este tema.

Na sequência do artigo "O Anonimato na Internet", recebi uma mensagem de um leitor devidamente identificado, onde referia que já se havia questionado se seria possível enviar uma mensagem anónima por correio electrónico, tal como acontece com as cartas anónimas no correio clássico. E descrevia um processo sobre o qual tinha dúvidas se resultaria ou não, questionando-se sobre se tal seria viável através de um dado operador ou se ficaria sempre "algum rasto".

Email em Branco
Curiosamente, uns dias depois, mesmo antes que eu tivesse tido tempo para responder ao leitor, recebi uma mensagem em branco. Sem qualquer texto, sem nome no remetente, sem endereço de email de remetente, sem dados do remetente caso eu respondesse à mensagem e, mais curioso, sem qualquer tipo de informação no "header" (cabeçalho), onde geralmente figura o "rasto" percorrido pela mensagem desde que é enviada até chegar ao destinatário, incluindo endereços IP, servidores de email usados, etc. Esta mensagem é realmente interessante e estranha porque, pelo menos, o programa de email deveria precisar de informação relativa a que servidor usar para enviar a mensagem. Acredito que um especialista em informática forense consiga obter alguma informação que permita identificar o remetente, mas sinceramente não sei. Uma coisa é certa, para um leigo, como a maioria dos utilizadores, aquela era uma mensagem anónima. Só que sem texto! Como digo, não estou certo que um investigador em informática forense consiga ou não obter alguma informação, mas sei uma coisa: isto é algo que quem tem servidores de email deve investigar. Particularmente operadores de serviços Internet.

Outro Caso
Raramente acontece, mas por vezes lá recebo um email menos simpático de pessoas que discordam do que digo e escrevo, o que até considero salutar. A unanimidade raramente ajuda ao debate. Assim, quando alguém me escreve manifestando pontos de vista diferentes daqueles que eu defendo, não me ofende, pelo contrário. Acho salutar e ajuda ao debate da questão da segurança online de crianças e jovens. Mais raramente ainda, por vezes, recebo emails anónimos que na incapacidade de debater, descambam para o insulto ou a injúria. A esses normalmente reservo-lhes o mesmo destino das mensagens de SPAM, ou seja, o lixo. Há tempos recebi uma dessas mensagens, mas que por ficar na fronteira das categorias que refiro acima, captou a minha atenção. Era uma mensagem anónima na medida em que era assinada com um nickname e como fora submetida a partir do site MiudosSegurosNa.Net, a pessoa em questão decidira não incluir o endereço de email. A mensagem era inofensiva. No entanto, nunca seria verdadeiramente anónima, na medida em que os sistema regista os endereços IP do servidor remoto usado para aceder à página. Não liguei mais ao assunto e segui com a minha vida até que...

Gato Escondido Com Rabo de Fora
Estou registado num serviço de alarmes que me envia uma mensagem sempre que surgem páginas Internet contendo determinadas palavras-chave. No mesmo dia do episódio acima recebi um desses alarmes. Fui verificar a página e constatei que se tratava de uma notícia a propósito de umas palestras que ia efectuar numa dada localidade. Após a notícia, surgiam diversos comentários à mesma. O último comentário chamou-me à atenção. Era assinada com o mesmo nickname da mensagem "anónima" que eu tinha recebido horas antes. Fui verificar o perfil do utilizador e fiquei a saber em que localidade vivia, o seu sexo, a sua idade, como era fisicamente e que locais frequentava (eram mostradas diversas fotografias da pessoa em questão com amigos em locais públicos identificáveis).

A concluir, poderão dizer dizer-me: "Coincidência. Que garantias tem que se trata da mesma pessoa?!" "Nenhuma", é a minha resposta. Mas como procurei explicar no artigo anterior sobre este tema, se há ou não anonimato na Internet, não é para mim a questão. A questão é que por vezes divulgamos informação excessiva sobre nós mesmos na Internet, sem termos consciência dos riscos que podemos correr. Esse é o alerta que me parece importante fazer passar, sobretudo para os jovens, que são geralmente mais inconsequentes neste tipo de atitudes e que partilham fotos e outros dados pessoais online, sem saberem de facto quem os poderá estar a ver. Quem terá acesso a essa informação. Informação essa que não só os identifica, como muitas vezes os coloca em locais perfeitamente identificáveis. Sem eles disso muitas vezes sequer se aperceberem.

Logotipo do Bits & Bytes
in Bits & Bytes Nº 106,
Suplemento de informática, jogos e multimédia
do 24 Horas e Jornal de Notícias,
11 de Novembro de 2005



Artigos Anteriores:
> O "Papão" da Segurança na Internet
> Anonimato na Internet
> Segurança & Responsabilidade Social Empresarial
> Internet Em Demasia? Eis o Que Fazer - Parte II
> Internet Em Demasia? Eis o Que Fazer...

Rotulado com ICRA - Internet Content Rationg Association
| Início | Recursos | Sobre | Mapa do Site |
                                                 © 2003-2005, Tito de Morais. Todos os Direitos Reservados.