Logotipo MiudosSegurosNa.Net

Minimizar Riscos, 
Maximizar Benefícios. 

Bandeira de AngolaBandeira do BrasilBandeira de Cabo VerdeBandeira da Guiné-Bissau
Bandeira de MoçambiqueBandeira de PortugalBandeira de São Tomé e PrincípeBandeira de Timor Leste
Subscreva a Newsletter
[MiudosSegurosNa.Net]

> Definir Homepage
> Adicionar a Favoritos
> Imprimir Esta Página
> Recomendar Página
> Ligue-se a Nós!
> Artigos Para o Seu Site
> Donativos

ARTIGOS DE OPINIÃO - 2004 - NOVEMBRO
7 Regras Para a Segurança Online de Crianças e Jovens - Parte II
Por Tito de Morais

Esta semana, forneço-vos as últimas quatro regras do conjunto de sete incluídas nesta pequena série de dois artigos. Descubra abaixo estas regras que poderá adaptar, imprimir, discutir periodicamente com os seus filhos e colocar num local próximo do computador, à vista de todos, como um lembrete.

No artigo anterior, abordei a importância que o estabelecimento de regras pode ter para a promoção da utilização segura e responsável das novas tecnologias de informação e comunicação por crianças e jovens. Neste contexto, referi também a importância que estas regras sejam definidas de uma forma positiva que responsabilizem as crianças, em vez de se enveredar pelo caminho fácil, mas pouco eficaz, da proibição que geralmente resulta em tentação. Por fim, comecei a fornecer as primeiras três regras de um conjunto do sete regras referias nestes dois artigos. Hoje, a terminar esta pequena série de dois artigos, forneço-vos a restantes quatro regras e alguns comentários adicionais.

#4. Fala com os teus pais, sempre que leias ou vejas algo que te incomode ou te deixe desconfortável na Internet.
Existem muitas coisas fixes na Internet, mas também há muitas coisas más. Sempre que receberes ou acederes através da Internet a coisas que te incomodem, te deixem desconfortável, preocupado ou assustado, fala com os teus pais sobre o assunto.

#5. Só porque está na Internet, não quer dizer que seja verdade.
Nem tudo o que lês, vês e ouves na Internet é verdade. Assim como as pessoas podem mentir online sobre quem são, também podem escrever e dizer mentiras. Por isso, não acredites em tudo o que lês, vês ou ouves na Internet. Antes de aceitares qualquer coisa que lês, vês ou ouves na Internet, pensa pela tua cabeça. Verifica a fonte da informação e confirma a informação com os teus pais ou professores.

#6. O software de segurança instalado no meu computador protege-nos a todos.
Software de segurança como firewall, anti-vírus, anti-spyware, anti-popup, anti-spam, filtragem de conteúdos, monitorização do acesso, etc. foram instalados no computador para proteger os seus utilizadores. Desactivar ou tentar contornar estes programas, é colocar em risco não só a tua segurança, como a segurança da tua família. Antes de instalares ou desinstalares software no teu computador, fala com os teus pais sobre o assunto.

#7. Só porque está online, não quer dizer que pertence à comunidade.
Os conteúdos (textos, imagens, sons, programas, etc.) que estão na Internet têm dono. Só o facto de lhes ter acesso não faz com que os conteúdos sejam teus e que podes fazer com eles o que muito bem entenderes. Até porque há conteúdos que são distribuídos ilegalmente através da Internet. Por isso, antes de os usares livremente, certifica-te que são legais, pede autorização aos autores para os reproduzires e cita as fontes nos trabalhos escolares que fizeres com eles.

Por fim, para além destas regras, necessariamente genéricas, os pais podem definir a localização do computador num zona comum da casa, discutir e acordar com os filhos quando estes podem estar online (definir dias, quantidade de tempo e tarefas prioritárias - estudar, fazer trabalhos de casa, etc. - antes de se ligarem), que programas podem ser utilizados, sites e actividades são apropriados ou não. O principal é desenvolver em grupo, com a família, um conjunto de regras que só devem ser quebradas por mútuo acordo. Pode até transformar estas regras num contrato familiar que será assinado por cada membro do agregado familiar. A este nível, recomendo-lhe ainda a leitura do artigo "Contrato Familiar Sobre a Utilização da Internet", publicado nestas páginas em Novembro de 2003. Por fim, não se esqueça que os seus filhos vão crescendo, pelo que convirá rever estas regras à luz deste facto. Só assim as crianças e os jovens conseguirão tirar o máximo partido dos benefícios que as novas tecnologias têm para oferecer, de uma forma segura e responsável.

Logotipo do jornal A Capital
in Info&Net, A Capital, Lisboa, 12 de Novembro de 2004



Artigos Anteriores:
> 7 Regras Para a Segurança Online de Crianças e Jovens - Parte I
> O Principal Obstáculo à Segurança na Internet
> Lotaria, Fiscalizações, Relâmpagos e Segurança
> Apanha-me se Puderes!
> Portugal Ignora Riscos Online

Rotulado com ICRA - Internet Content Rationg Association
| Início | Recursos | Sobre | Mapa do Site |
                                                 © 2003-2007, Tito de Morais. Todos os Direitos Reservados.