Logotipo MiudosSegurosNa.Net

Minimizar Riscos, 
Maximizar Benefícios. 

Bandeira de AngolaBandeira do BrasilBandeira de Cabo VerdeBandeira da Guiné-Bissau
Bandeira de MoçambiqueBandeira de PortugalBandeira de São Tomé e PrincípeBandeira de Timor Leste
Subscreva a Newsletter
[MiudosSegurosNa.Net]

> Definir Homepage
> Adicionar a Favoritos
> Imprimir Esta Página
> Recomendar Página
> Ligue-se a Nós!
> Artigos Para o Seu Site
> Donativos

ARTIGOS DE OPINIÃO - 2004 - SETEMBRO
Pais Ainda Subestimam Riscos Online - Parte 1
Por Tito de Morais

Os pais ainda subestimam consideravelmente os riscos a que os seus filhos estão expostos online. Esta foi uma das principais conclusões de um estudo, publicado no Reino Unido em Julho, que evidencia grandes discrepâncias entre a realidade e ideia que os pais têm das experiências online dos seus filhos.

A semana passada referi as recomendações de um estudo que revelou a importância de ouvir as crianças falarem sobre as suas experiências com a Internet. Esta semana, abordo um outro estudo. Das mesmas autoras. Realizado na sequência do estudo anterior, este estudo confrontou as percepções de pais e filhos sobre os riscos a que as crianças estão expostas online. Concluiu existirem grandes discrepâncias entre a realidade e ideia que os pais têm das experiências online dos seus filhos.

Diferenças Radicais
O estudo- UK Children Go Online, Surveying the experiences of young people and their parents - desenvolvido pela London School of Economics and Political Science, revela que as crianças britânicas, entre os 9 e os 19 anos de idade, que estão online pelo menos uma vez por semana:

  • 57% já esteve em contacto com pornografia online, enquanto apenas 16% dos pais afirmam que tal já aconteceu com os seus filhos
  • 46% afirma que já forneceu dados pessoais online, enquanto apenas 5% dos têm essa percepção
  • 33% já foi alvo de comentários maldosos ou sexuais não desejados, enquanto apenas cerca de 5% dos pais parece ter consciência disso

Principais Descobertas
O estudo tem o objectivo de disponibilizar uma investigação rigorosa e actual sobre a forma como as crianças entre os 9 e os 19 anos usam a Internet. O projecto procura equilibrar uma avaliação das oportunidades e dos riscos online, tendo em vista contribuir para o desenvolvimento de debates académicos e enquadramento de políticas para a utilização da Internet por crianças e jovens. Para isso, agrupou as suas principais descobertas em oito grupos:

  • Acesso e Desigualdades
  • Natureza da Utilização da Internet
  • Educação, Aprendizagem e Literacia
  • Pornografia Online
  • Comunicação e Participação
  • Riscos da Comunicação Online
  • Como Pais e Filhos Vêem a Internet
  • Regulamentando a Internet em Casa

Acesso e Desigualdades
De acordo com as investigadoras Sonia Livingstone e Magdalena Bober, no Reino Unido, o acesso e a utilização da Internet está muito divulgada entre crianças e jovens, sendo mesmo consideravelmente superior ao acesso e à utilização entre os adultos. Enquanto o acesso doméstico está a crescer, com os lares com crianças a liderar, o acesso a partir da escola é praticamente universal. Para além do acesso por banda larga, as crianças também dispõe agora de mais de um computador em casa. Mas os dispositivos de acesso não se limitam ao computador, incluindo agora a televisão digital, as consolas de jogos e os telemóveis. Cerca de 20% das crianças inquiridas têm acesso à Internet a partir dos seus quartos. Este número é superior no caso dos rapazes vs. raparigas, classe-média vs. classe trabalhadora e no caso das crianças entre os 16-17 anos vs. 9-11 anos. Menos de metade dos computadores domésticos encontram-se em salas comuns, e cerca de 80% das crianças com acesso em casa usam a Internet sozinhas. Ainda de referir é o facto de apesar da divulgação do acesso, persistirem ainda desigualdades significativas no acesso doméstico, motivadas essencialmente por diferenças sócio-económicas.

Natureza da Utilização da Internet
A maioria das crianças e dos jovens usa a Internet com frequência, se bem que por quantidades moderadas de tempo. A esmagadora maioria (84%) divide-se entre utilizadores diários e semanais. Enquanto 20% usa a Internet 10 minutos por dia, a maioria (48%) usa cerca meia a uma hora por dia e outros 20% usa entre uma e três horas por dia. Apenas 5% passa em média mais de três horas online por dia. Por outro lado, o tempo despendido online ainda é menor que o tempo passado com a família ou a ver televisão, mas equivale-se ao tempo gasto a fazer trabalhos de casa ou a jogar vídeo-jogos e é superior ao tempo dedicado ao telefone ou à leitura.

Usam a Internet para os fins mais diversos, mas a pesquisa e os trabalhos escolares são os fins mais comuns. A esmagadora maioria (mais de 90%) dos utilizadores diários usa a Internet para fazer os seus trabalhos escolares e para recolher informação sobre outras coisas. Cerca de 2/3 usa-a para enviar e receber emails e jogar online. Pouco mais de metade usa-a para enviar e receber mensagens instantâneas, enquanto que 45% fazem downloads de músicas e 21% para usar as salas de chat. De referir ainda que mais de quarenta por cento usa a Internet para procurar informação que lhes permita desenvolver a sua educação e para procurar produtos ou para fazer compras online, enquanto apenas 26% o faz para ler notícias.

Mas nem toda a utilização é para fins socialmente aceitáveis. De facto, entre os utilizadores diários entre os 12 e os 19 anos, 21% admite ter copiado algo da Internet para um trabalho escolar apresentando-o como original. De igual modo, 8% afirma ter acedido ilegalmente ao email ou a um site de terceiros. Uma minoria (cerca de 5%) afirma ter visitado sites de encontros amorosos e já ter enviado uma mensagem para incomodar ou ameaçar alguém.

Por fim, o estudo refere que 47% dos utilizadores ocasionais e dos não utilizadores afirmam não ter acesso, enquanto que 25% não se mostra interessado em ter acesso. Cerca de 15% afirma não saber usar a Internet ou não ter tempo para o fazer. Metade dos utilizadores menos frequentes - os que acedem online pelo menos uma vez por semana - concentram a sua utilização da Internet em menos de 5 sites diferentes.

Logotipo do jornal A Capital
in Info&Net, A Capital, Lisboa, 03 de Setembro de 2004



Artigos Anteriores:
> Ouvir as Experiências das Crianças
> Oito Respostas de Segurança Muito Simples - Parte II
> Oito Respostas de Segurança Muito Simples - Parte I
> Quando Regressar de Férias, Previna-se.
> ''Deixem a Porta Aberta'' e Outros Alertas

Rotulado com ICRA - Internet Content Rationg Association
| Início | Recursos | Sobre | Mapa do Site |
                                                 © 2003-2007, Tito de Morais. Todos os Direitos Reservados.