Logotipo MiudosSegurosNa.Net

Bandeira de AngolaBandeira do BrasilBandeira de Cabo VerdeBandeira da Guiné-Bissau
Bandeira de MoçambiqueBandeira de PortugalBandeira de São Tomé e PrincípeBandeira de Timor Leste
Subscreva a Newsletter
[MiudosSegurosNa.Net]

> Definir Homepage
> Adicionar a Favoritos
> Imprimir Esta Página
> Recomendar Página
> Ligue-se a Nós!
> Artigos Para o Seu Site
> Donativos

ARTIGOS DE OPINIÃO - 2003 - AGOSTO
"Que a Força Esteja Contigo, Star Wars Kid!"
Por Tito de Morais

Contrariamente ao famoso Mahir que se transformou numa celebridade da Internet por vontade própria, a mais recente celebridade nunca desejou ser uma celebridade. Muito menos pelas razões que o transformaram em tal coisa.

A mais recente celebridade da Internet é um menor de 15 anos residente no Quebec, Canadá, cujo fenómeno é conhecido por The Star Wars Kid. O jovem, ficou involuntariamente famoso quando um vídeo por si gravado para recreação pessoal, acabou a ser distribuído em redes peer-to-peer. O vídeo, gravado pelo próprio jovem, mostra um adolescente obeso com uma vara - tal qual um sabre luminoso à la Star Wars - numa luta frenética e solitária contra um inimigo invisível. Com cerca de dois minutos, o vídeo mostra o jovem numa sequência alucinante de movimentos rápidos com o pretenso sabre de luz, tudo isto acompanhado com os respectivos efeitos especiais sonoros, produzidos com a boca. Aquilo que havia sido pensado como uma performance para visionamento privado e exclusivo do jovem está a ser distribuído pela Internet, em todo o mundo.

A gravação original, foi feita numa tape de 8mm, no dia 4 de Novembro de 2002, no estúdio de vídeo da escola. A tape foi posteriormente devolvida a um amigo que a havia emprestado e ficou "perdida" numa prateleira durante meses. A 19 de Abril de 2003, o amigo que havia emprestado a tape descobre acidentalmente o conteúdo "secreto" do vídeo e partilha-o de imediato com os amigos. Daí à ideia de pregar uma partida ao incauto autor e actor da gravação foi um passo. O vídeo é então codificado e partilhado através do Kazaa, uma rede peer-to-peer para a partilha de ficheiros através da Internet.

Apenas 5 dias após o surgimento do vídeo na Internet, surge uma nova versão, esta já com efeitos especiais ao nível do som e da imagem. Uma semana mais tarde, ambos os ficheiros já se encontram a ser disponibilizados através de links nos principais sites de jogos, tecnologias e são tema de conversa e discussão em blogs, fóruns e chat rooms.

Só num desses sites, em 15 dias registam-se mais de 1 milhão de downloads! No diz em que escrevo este artigo atingiu os 10 milhões de downloads! Entre a polémica dos que dizem mal do rapaz e dos que dizem que todos nós já fizemos mais ou menos algo idêntico – quanto mais não seja em frente a um espelho - o tema torna-se moda e proliferam novas versões do vídeo original, adaptadas com os efeitos especiais mais diversos e baseando-se em temas igualmente diversos, que vão dos jogos – Mortal Kombat, por exemplo – aos filmes – Hulk e Terminator 3. Um dos sites que acompanha o assunto, à data em que escrevo este artigo já disponibiliza 40 versões diferentes do vídeo original, alguns dos quais produzidos por outros miúdos que pura e simplesmente procuram imitar o "herói" original.

O assunto assume tamanhas proporções que chega a ser noticiado em órgãos de comunicação como a Wired, o Chicago Tribune e o New York Times. O fenómeno atinge os principais motores de busca que noticiam que o tema surge como uma das principais expressões pesquisadas no Lycos e no Yahoo!, registando taxas de crescimento de 500% e batendo mesmo o número de pesquisas sobre Jim Carrey e a última versão do filme Dumb and Dumber. Do dia para a noite, involuntariamente, um jovem de 15 anos transforma-se no centro das atenções da Internet.

Todavia, à medida que o caso vai sendo do conhecimento público, os bastidores da história começam a revelar o outro lado da moeda. Em afirmações que chegou a fazer a um meio de comunicação social, o jovem apenas deseja que a atenção recebida nunca tivesse acontecido e que o génio nunca tivesse saído da lâmpada. Na escola, o jovem tornara-se alvo da chacota dos colegas, sendo assediado, ridicularizado e perseguido ao ponto dos pais serem obrigados a mudá-lo de escola. Segundo funcionários da escola que o jovem frequentava, a pressão sobre o rapaz tornara-se intolerável. "Quando 500 pessoas se riem de nós quando entramos na cafetaria todas as tardes, não é fácil!". O jovem acaba por ser transferido para um hospital psiquiátrico onde acaba por vir a perder o ano lectivo e segundo algumas fontes poderá vir a ser alvo de tratamento psiquiátrico por um período de tempo indefinido.

Quando toma conhecimento dos problemas que o jovem enfrenta, um dos sites que acompanha o assunto desencadeia uma acção de solidariedade visando recolher fundos para oferecer um iPod ao jovem. Numa semana, angariam qualquer coisa como 4 mil e trezentos dólares (860 contos) provenientes de mais de 400 doadores!

O movimento sofre do efeito bola de neve e a esta campanha junta-se uma outra, uma petição à LucasFilm para que o jovem tenha uma cameo appearance no próximo episódio da Guerra das Estrelas! Segundo consta, a equipa da LucasFilm que trabalha na produção já "respondeu" através de uma webcam que acompanha os trabalhos e cujo conteúdo está disponível na Internet.

Mas a situação deteriora-se a tal ponto que, em finais de Maio, a família do jovem decide processar legalmente o(s) indivíduo(s) e respectivo(s) pais – na eventualidade de serem menores - que originalmente colocaram o vídeo na Internet. O advogado é entrevistado pela Rádio Canadá, referindo mesmo haver receios que o caso possa mesmo vir a prejudicar o jovem de uma forma irreversível, dificultando-lhe o acesso a uma escola da sua escolha, obter um emprego, podendo mesmo vir a obrigá-lo a mudar de nome. O assunto prossegue e tudo indica que terminará em tribunal.

A concluir não se esqueça: se alguma vez pretender gravar em vídeo as suas habilidades, as habilidades dos seus familiares – particularmente dos seus filhos – ou amigos, certifique-se que a cassete não fica à mão de semear. É que no mínimo arrisca-se a ser a estrela involuntária de um qualquer programa do tipo "Olha o Vídeo!" e, na pior das hipóteses, arrisca-se a ter de receber apoio psiquiátrico porque no trabalho e em todo o lugar aonde vá, terá de gramar com o comentário "aquele é o do vídeo!". Mas se um adulto ainda pode ter mais ou menos estofo para estas coisas, com as crianças não se passa o mesmo. São muito mais vulneráveis, tal como os seus colegas e amiguinhos também podem ser bem mais cruéis. Por tudo isto, fale com os seus filhos sobre este assunto e não pergunte: "Are you talking to me?!"

in Info&Net, A Capital, Lisboa, 08 de Agosto de 2003



Artigos Anteriores:
> "Não Acredites em Tudo o Que Lês!"
> Como Tirar Partido dos Benefícios do Chat & do IM, Sem se Expor Aos Riscos?
> "Spyware": o Preço da Sua Privacidade
> Sistemas de Classificação de Jogos Vídeo e de Computador
> Nunca é Tarde Para Aprender

Rotulado com ICRA - Internet Content Rationg Association
| Início | Recursos | Sobre | Mapa do Site |
                                                 © 2003-2007, Tito de Morais. Todos os Direitos Reservados.